terça-feira, 22 de dezembro de 2009

boas festas

íamos a cavalo para o teu presépio e o menino jesus nascia em formato de godzilla com barretinho e cachecol por causa do frio.

íamos em cima de um pato de borracha e a banda da aldeia tocava a procissão enquanto no megafone o joão villaret sibilava o "rosmaniiiinho".

íamos os dois, uma garrafa cheia de creme desmaquilhante e uma árvore tingida a azul jeans com uma tinta comprada na sociedade de drogas do oeste.

íamos os dois, felizes como drogarias onde se vendem lâminas velhas da gillete.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

seguro o teu queixo com a minha mão esquerda. aperto-o um pouco. abre bem os olhos. quero pintá-los por dentro.
não deixa de ser irónico que seja Fátima a levar o Padre ao pecado.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

ode aos netos

venho aqui para que me pintes os olhos.
está 1 dia bravo. tenho o coração pequeno.
e é. com o rímel talvez passe.
ele não quer ter filhos, só quer ter netos.
ter o prazer de estragar a geração vindoura.

a personae está in

amor, podias muito bem vestir-te de padre.
fugimos para Espanha num carro pequenino.

quero beber bagaço numa tasca da fronteira.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

kit mãos livres

cuidado, isto é um ataque de mãos desarmadas!

lista das compras

* pintar os olhos e rezar a santa bárbara

* ver a fashion tv com as barbas de molho.

* fumar os teus cabelos, acariciar barbas de milho.

* levar, ao supermercado, a lista de compras correcta.

outro dia, outra personagem

eu era o padre da paróquia e ela a gaja boa de dezoito anos. eu descobri o amor e ela descobriu as viagens low-cost para espanha. eu tinha pais que me pagavam tudo e ela tinha a mãe que a punha fora de casa. tínhamos sido feitos um para o outro.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

a resposta

anda cá. fazemos amor e fazemos presépios.
a pergunta é: fazemos amor ou fazemos presépios?

barba

ele guardava entre as páginas em branco a barba que fazia todas as manhãs. ela fingia que lia. barbas postiças a preços de saldo. fez negócio.
tirei-o da banheira e disse-lhe. anda cá. vou pintar-te esses olhos. ele deixou. e fodemos à brava.

prognóstico

nunca fales de olhos grandes em frente à rapariga dos cosméticos. ela poderá fazer-te usar rímel faíscante.