quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

soneto do pinote de hoje

chego a casa com os sapatos cheios de lama e
tu
deitada no chão da sala
água a escorrer até à porta de entrada

chego a casa com os sapatos cheios de lama
eu
os dias todos a trabalhar até ser noite
as noites todas a esperar que aparecesses

chego a casa com os sapatos cheios de lama e
um sorriso logo me cresce nos cantos da boca
não digo nada não, o que haveria a dizer

deito-me ainda sujo e suado, sim,
ao teu lado,
vamos dar pinotes, onde queiras, vamos dar pinotes.


Sem comentários:

Enviar um comentário